Connect with us

Hi, what are you looking for?

Belo Horizonte

Ruas vazias e fiscalização: o primeiro dia de toque de recolher em BH

Belo Horizonte com ruas vazias
Belo Horizonte com ruas vazias

Ruas Vazias E Fiscalização.Uma Belo Horizonte com ruas vazias, pontos de ônibus ainda cheios, intensa fiscalização da Polícia Militar da Guarda Municipal e rapidez de motoristas na volta para a casa. Em situação preocupante acerca da ocupação de UTIs e enfermarias, a capital mineira adormeceu de forma diferente: nesta quarta-feira (17/3), a cidade deu início ao toque de recolher para tentar frear o avanço do coronavírus.

A exemplo do que ocorre em várias cidades de Minas Gerais, somente trabalhadores dos serviços essenciais poderão circular das 20h às 5h. A medida vai valer por tempo indeterminado, dependendo da oferta de locais para internação para casos mais graves nos principais hospitais da capital.

Mesmo no primeiro dia de confinamento, com a população ainda se ambientando ao novo protocolo, já foi possível perceber uma cidade esvaziada. Não houve o característico congestionamento de carros e pedestres nas noites. 

A volta para casa foi um desafio a mais para a população que trabalhou até o fim da tarde. Diversas pessoas foram vistas esperando ônibus nos pontos da Savassi e do Funcionários e no centro da cidade.

Enquanto isso, poucos motoristas se apressaram para chegar em casa a tempo do confinamento. Na área central, viaturas da Polícia Militar e agentes da Guarda Municipal intensificaram as blitz para tentar flagrar comerciantes que desrespeitaram o decreto ou pessoas que descumpriram a lei.

De acordo com a PM, as primeiras abordagens são de caráter educacional. Em caso de reincidência, o cidadão pode até mesmo ser conduzido por cometimento de crime contra a saúde pública.

Na Praça Sete, apenas trabalhadores dos serviços essenciais foram vistos depois das 20h. Já a Praça da Liberdade estava completamente vazia, já que o acesso ao interior dela estava bloqueado.

A reportagem do Estado de Minas presenciou uma aglomeração de entregadores de aplicativos na Praça da Savassi. Todos estavam aguardando o início da jornada de trabalho.

Na Lagoa da Pampulha, o habitual movimento de ciclistas e corredores de rua à noite deu lugar a um ambiente calmo e sombrio. Por sua vez, no Viaduto de Santa Tereza, ruas e calçadas estiveram literalmente vazias.

‘Ambiente diferente e triste’

Para quem habitualmente trabalha no período noturno, o clima era de estranheza. “Nunca vi essa situação. A cidade está com um ambiente diferente e triste. Espero que tudo volte ao normal o mais rápido possível”, ressalta Matheus Carvalho, de 37 anos, frentista de um posto de combustíveis na Região Noroeste da capital.

Ele conta que o proprietário do estabelecimento autorizou os funcionários a trabalharem somente até a meia-noite, já que o movimento de carros seria teoricamente inferior – antes, ele tinha jornada até 6h. “Espero que, com essas medidas, o comércio possa voltar a abrir normalmente e a cidade voltar ao normal”, diz.

Apesar de ser favorável ao fechamento das atividades não-essenciais, o prefeito Alexandre Kalil (PSD) havia criticado o toque de recolher decretado por outras cidades da Grande BH.

“Não adianta abrir a cidade toda, como Sabará está fazendo, por exemplo, e amontoar todo mundo de dia, mas fazer toque de recolher durante a noite. Isso é uma brincadeira de péssimo gosto”, afirmou.

Colapso à vista BH chegou nesta quarta-feira a 96,6% de ocupação dos leitos, a maior desde o início da pandemia. Na rede SUS, o quadro também é gravíssimo, com uma taxa de uso de 91,1%. Dos 746 leitos para pacientes graves infectados pelo coronavírus em Belo Horizonte, a prefeitura informa que restam somente 25.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like

Marketing Digital

Já se foi o tempo em que costumávamos usar o Instagram ou qualquer outra rede social como Facebook ou mensageiros como Whatsapp  para compartilhar...

Cidades

Um candidato a prefeito em Rio Negro, distante 149 km de Campo Grande, terá que excluir um post em que desqualifica uma pesquisa eleitoral...

Cidades

O jornal Tendência do Estado fundado em 12 de maio de 1994, dia em que comemora se o aniversário do Município de Costa Rica,...

Camapuã

O Prefeito de Camapuã, Manoel Nery, juntamente com o seu vice-prefeito Aloizio Targino, estiveram reunidos na manhã desta segunda-feira (04) no Paço Municipal, onde...