Connect with us

Hi, what are you looking for?

Destaque

Após feriadões com 30 mil pessoas, Bonito decreta novo toque de recolher

A cidade de Bonito, cidade a 297 quilômetros de Campo Grande, terá novamente o toque das 24 h às 5 horas até o dia 18 de dezembro por causa da pandemia do coronavírus. A decisão é da prefeitura da cidade após audiência com o MPMS (Ministério Público de ) nesta quinta-feira (19).  A possibilidade de  ficou descartada na reunião.

A decisão acontece após a cidade reunir em torno de 30 mil pessoas nos feriados e Sete de Setembro e Nossa Senhora Aparecida. Ainda de acordo com a denúncia, Bonito saiu da bandeira laranja (médio grau de risco) para a bandeira vermelha (alto grau de risco).

Com isso, o MPMS pediu à Justiça que a prefeitura de Bonito implementasse o toque de recolher. Bonito tem 652 casos confirmados e 9 mortes causadas pela covid-19 desde o início da pandemia.

De acordo com a prefeitura, a queima de fogos na Praça da Liberdade está suspensa e fica proibido o consumo de bebida alcoólica e de narguilé, caixas térmicas, coolers, isopores e similares em vias públicas.

O Ministério Público ficará responsável por convocar as forças de segurança pública para a fiscalização das medidas anunciadas, bem como o uso obrigatório de máscaras e coibir aglomerações. Porém, os eventos já autorizados pela administração serão mantidos e os demais pedidos obedecerão ao decreto.

Ainda de acordo com o executivo municipal, será realizada campanha de prevenção de combate a disseminação do coronavírus nas rádios e por meio de distribuição de máscaras e panfletos educativos.

Estiveram na audiência a juíza da 1ª Vara da Comarca de Bonito, Adriana Lampert, o promotor público Alexandre Estuque, a aecretária de Saúde, Lívia Maria Miranda, secretário de Turismo, Augusto Mariano e do procurador Edilson Junior Arruda dos Santos, representando o município de Bonito. O prefeito eleito Josmail Rodrigues também compareceu à audiência acompanhado do advogado Rafael Rodrigues.

Pedido de toque de recolher

A decisão ocorreu após a cidade reunir em torno de 30 mil pessoas nos feriados e Sete de Setembro e Nossa Senhora Aparecida,  fazendo com que a cidade saísse da bandeira laranja (médio grau de risco) para a bandeira vermelha (alto grau de risco).

Segundo a denúncia, devido a omissão da gestão municipal, houve aglomerações com grande número de pessoas nas vias públicas da cidade, especialmente no período noturno, na Avenida Cel. Pilad Rebuá. A maioria sem máscaras, além da realização de “festas clandestinas”, que teve intervenção da  e da Guarda Municipal, resultando na contaminação de metade dos agentes de segurança da cidade. Fonte Midiamax

You May Also Like

Marketing Digital

Já se foi o tempo em que costumávamos usar o Instagram ou qualquer outra rede social como Facebook ou mensageiros como Whatsapp  para compartilhar...

Cidades

Um candidato a prefeito em Rio Negro, distante 149 km de Campo Grande, terá que excluir um post em que desqualifica uma pesquisa eleitoral...

Brasil

O Brasil atingiu a marca de 200 mil mortos por Covid-19 nessa quinta-feira (7/1). Em 10 meses, o novo coronavírus mudou a maneira como os brasileiros vivem, relacionam-se...

Destaque

A prefeita de Sidrolândia, Vanda Camilo (PP), voltou a trás e anulou a nomeação de três familiares para cargos comissionados na prefeitura da cidade...